Paciente do CRER conquista quatro medalhas em competição de paranatação em Brasília

Paciente há nove anos do CRER, Daniel Cleiton Pereira da Silva diz que o tratamento mudou sua vida e agradece os profissionais da unidade, que o incentivaram a praticar o esporte

 

Um acidente automobilístico tirou o movimento das pernas de Daniel Cleiton Pereira da Silva. Mas o esporte e a superação devolveram a ele a motivação que precisava para superar cada um dos desafios impostos em sua vida.

Paciente há nove anos do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo – CRER, unidade da SES-G administrada pela AGIR (associada ao Ibross), Daniel acaba de conquistar quatro medalhas, sendo três de ouro, no VI Meeting de Paranatação do DF, realizado no dia 28 de setembro, em Brasília.

“Essa foi minha primeira competição oficial na natação. É muito gratificante olhar para trás e lembrar tudo o que já passei para conseguir chegar até aqui. Não esperava esse resultado por ser minha primeira competição. Estou muito feliz”.

Educadora física do CRER e professora de natação terapêutica do Daniel, Ana Paula Rocha Marçal, comemora a evolução e conquista do paciente. “O Daniel começou a natação com o único intuito de reabilitação. Com o tempo ele descobriu sua habilidade e paixão por essa modalidade de esporte. Me enche de orgulho e satisfação acompanhar as conquistas de cada um dos nossos pacientes. Sou realizada profissionalmente”.

A história de Daniel com o paradesporto começou quando teve início o seu tratamento no CRER. “Antes de sofrer o acidente eu nunca havia praticado nenhum esporte. Aqui no CRER fui incentivado pelos profissionais a aderir ao esporte. Foi assim que nasceu minha paixão pelo basquete em cadeira de rodas e, mais recentemente, pela natação”.

O acidente que deixou Daniel paraplégico foi em agosto de 2010. A lesão medular interrompeu alguns sonhos do paciente, mas segundo ele, após o início do tratamento no CRER foi possível acreditar em dias melhores e enxergar uma nova chance para ser feliz.

“Depois do acidente eu só enxergava tristeza, dificuldades e muros na minha frente. É muito difícil aceitar uma mudança tão grande assim. Hoje falo pra todo mundo, o CRER mudou minha vida e me devolveu o prazer de viver. Hoje vivo pelo esporte e pela minha superação, dia após dia”.

 

Fonte: Agir / CRER


Os comentários estão fechados.