Hospital Regional do Cariri recebe categoria máxima em gerenciamento de risco

O Hospital Regional do Cariri (HRC), gerido pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar – associado Ibross – atinge a categoria “A” na Rede Sentinela. Com isso, o ISGH passa a ter dois hospitais com conceito máximo em gerenciamento de risco em sua gestão. O Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara (HGWA) também manteve a categoria “A”, na mesma avaliação divulgada. A Rede Sentinela gerencia riscos à saúde, com ênfase na vigilância de tecnologias e medicamentos.

Confira a notícia completa:

 

HRC recebe categoria máxima em gerenciamento de risco pela Anvisa

Com nota de 32,14 o Hospital Regional do Cariri atinge categoria A no monitoramento realizado pela Rede Sentinela da ANVISA, na qual o HRC faz parte desde 2015.

A Rede Sentinela é uma estratégia do Sistema de Notificação e Investigação em Vigilância Sanitária (Vigipos), que funciona como observatório no âmbito dos serviços para o gerenciamento de riscos à saúde. O monitoramento das atividades da Rede Sentinela é realizado a cada seis meses nas instituições de saúde.

Essa foi a segunda avaliação do HRC e o avanço na pontuação é um reconhecimento à qualidade e segurança nos serviços prestados aos 44 municípios da região do Cariri.

“É gratificante receber esse resultado de crescimento. Mostra que o trabalho destinado pela equipe HRC na segurança do paciente e nas práticas de segurança está no caminho certo, cada dia mais consolidado na linha do cuidado aos nossos pacientes”, destacou a gerente de risco do HRC, Nárya Brito.

Dentre os pontos considerados para esta classificação, destacam-se a manutenção da gerência de risco desde o ano de 2014, permitindo uma continuidade das atividades; identificação de riscos, realização de atividades com o resultado do controle e do monitoramento para aperfeiçoar o gerenciamento do risco e a realização de sessões para transmissão do Programa Sentinelas em Ação nos dois últimos monitoramentos.

Monitoramento

Para a realização do monitoramento, as instituições integrantes da Rede Sentinela são avaliadas e precisam responder e comprovar as informações repassadas sobre temas, como identificação, análise e avaliação dos riscos; controle e monitoramento dos riscos; comunicação dos riscos; capacitação e educação continuada; Programa Nacional de Segurança do paciente; farmacovigilância; tecnovigilância e hemovigilância.

Fonte: isgh.org.br


Os comentários estão fechados.