Agir buscou alternativas na gestão de custos hospitalares durante a pandemia

Associação foi responsável pela criação do Hospital de Campanha HCamp de Goiânia com 210 leitos

São diversos os desafios enfrentados por instituições de diferentes segmentos desde o início da pandemia da covid-19. As unidades de saúde tiveram que se adequar rapidamente à nova realidade para absorver as demandas que esse novo cenário de crise sanitária enfrentada pelo o mundo todo exigiu.

Com isso, a Associação de Gestão, Inovação e Resultados em Saúde, Agir, filiada ao Ibross, buscou promover uma gestão orientada às melhores práticas de responsabilidade social, com ênfase no monitoramento de seus custos.

Em artigo, o superintendente executivo da Agir, Lucas Paula da Silva, relata como foi criar as condições necessárias para receber pacientes no Hospital de Campanha para o Enfrentamento do Coronavírus (HCamp de Goiânia), montado em tempo recorde.

“A Agir se superou ao criar alternativas de gestão. Ao lançar mão da expertise acumulada na área da saúde, mesmo diante do cenário adverso conseguiu inaugurar a unidade com 210 leitos no total, sendo 100 deles voltados ao atendimento crítico (UTI) e 110 semicríticos (Enfermaria), em um total de 24.502,16 m² de área construída e totalmente equipada para funcionamento do primeiro hospital do estado de Goiás voltado ao atendimento de pacientes acometidos pela Covid-19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirma Silva.

Leia o artigo na íntegra:

Realidades alternativas são adotadas na gestão de custos hospitalares durante a pandemia

Durante seus vinte anos de existência, a Associação de Gestão, Inovação e Resultados em Saúde, Agir, buscou promover uma gestão orientada às melhores práticas de responsabilidade social, com ênfase no monitoramento de seus custos.

Com a chegada do período de pandemia ocasionado pela Covid-19, assim como instituições de diversos segmentos em todo o país, a Agir enfrentou inúmeros desafios em sua gestão, especialmente em recursos humanos e materiais, sobretudo diante da complexa logística, de em apenas 12 dias, criar as condições necessárias para receber o primeiro paciente do Hospital de Campanha para o Enfrentamento do Coronavírus (HCamp de Goiânia).

Com seu pleno funcionamento realizado em tempo recorde, o HCamp de Goiânia demandou de mão de obra qualificada, especialmente na equipe técnica de linha de frente e lideranças, além de um ágil processo de contratações com qualidade. Além disso, outro desafio enfrentado foi em relação aos recursos materiais, onde encontramos uma diferente realidade em relação à variação de preços dos insumos, escassez de alguns materiais por conta da alta demanda e, consequentemente, longos prazos de espera para as entregas dos produtos.

Mesmo com essas situações enfrentadas, a Agir se superou ao criar alternativas de gestão. Ao lançar mão da expertise acumulada na área da saúde, mesmo diante do cenário adverso conseguiu inaugurar a unidade com 210 leitos no total, sendo 100 deles voltados ao atendimento crítico (UTI) e 110 semicríticos (Enfermaria), em um total de 24.502,16 m² de área construída e totalmente equipada para funcionamento do primeiro hospital do estado de Goiás voltado ao atendimento de pacientes acometidos pela Covid-19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Para isto, a Agir precisou se ajustar ao curto prazo de tempo para a entrega do funcionamento da unidade alinhada à uma gestão de excelência e um atendimento de altíssimo nível de qualidade. No quesito recursos humanos, a Agir empreendeu a contratação de profissionais qualificados em parceria com instituições especializadas no atendimento assistencial e multiprofissional, tal prática torne-se legalmente regulamentada pela reforma trabalhista a qual ampliou a possibilidade de contratação de parceiros terceiros para atividades fins, foi adotado também o dimensionamento dinâmico de acordo com a taxa de ocupação, que aliado ao modelo de contratação de parceiros terceiros permitiu uma maior mobilidade das equipes, tanto para ampliação quanto redução conforme demanda, para garantia da qualidade assistencial foi implementado um programa de treinamento humanizado e com simulação realística à toda equipe técnica terceira com apoio de profissionais referência da Agir e suas unidades de negócio. Dessa forma, a instituição conseguiu reduzir em 23% dos custos totais de contratações, em comparação ao que seria gasto em uma abertura de unidade hospitalar por meio do modelo de contratação pelo regime celetista convencional.

Já em relação aos recursos materiais, a Agir adotou um modelo de gestão de suprimentos baseado em sua cadeia de fornecedores já existentes, os quais já vêm acompanhando a instituição em sua atuação nas demais unidades administradas, o que otimizou a negociação de produtos e readequação de utilização de insumos entre os hospitais geridos pela Associação.

Visando o uso correto e racional dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), a Agir lançou o SIGEP (Sistema Integrado de Gerenciamento de EPI’s), um sistema completo que realiza a solicitação, dispensação, gerenciamento e controle dos EPIs, diminuindo o contágio do novo coronavírus e promovendo o uso mais consciente dos insumos, aumentando o controle de estoque nas unidades hospitalares. O SIGEP, que atualmente possui tecnologia adaptável para uso em aplicativo mobile e webservice, é participante do Concurso Nacional de Projetos Digitais.

Com uma gestão eficiente de custos, a Agir mantém uma alta satisfação entre os clientes, pela métrica do NPS do último semestre, atingindo 91% de satisfação, dados gerados e acompanhados pelo centro de dados e informações da estrutura corporativa, chamado de e-Agir.

Desse modo, a Agir prova mais uma vez que é possível reduzir custos e manter uma gestão de excelência, atendimento de qualidade e entregas eficientes. Mesmo em situações extremamente adversas como o momento em que o mundo inteiro vivencia, ações como estas contribuem para que nós, profissionais da Agir e unidades de negócio, sigamos firmes em nosso propósito de “CUIDAR DE VIDAS”.

Lucas Paula da Silva
Superintendente Executivo da Agir


Os comentários estão fechados.