Artigo – Organizações Sociais demonstram eficiência diante da pandemia

 

Por Ademir Medina, CEO do Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim” (CEJAM)

 

No cenário de pandemia mundial do Coronavírus, apesar das iniciativas para o desenvolvimento de uma vacina e esforços para promover o isolamento social para conter a transmissão da doença, o país vive um momento de instabilidade política, econômica e social. Neste contexto, a parceria entre as Organizações Sociais de Saúde (OSS) e o poder público tem sido fundamental para atender as necessidades em saúde da população. Com eficiência, as OSS como o Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim” – CEJAM destacam-se no gerenciamento e operacionalização das ações de saúde, seguindo diretrizes das políticas públicas vigentes.

O sistema de saúde brasileiro é complexo e a vulnerabilidade da população, associados ao cenário de pandemia, aumentam os desafios do Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda assim, as OSS estão comprometidas com a missão de realizar com excelência a gestão de saúde populacional, por meio de ações de promoção, prevenção e assistência à saúde, atuando com ética e transparência.

Para enfrentar este cenário adverso, o CEJAM instaurou um Comitê de Acompanhamento e Diretrizes da Epidemia de Covid-19 para tomadas de decisões e implementação de respostas rápidas às necessidades de enfrentamento ao vírus. Entre diversas medidas adotadas, ressalta-se a operacionalização de 460 leitos de UTI, em hospitais municipais e estaduais, dedicados ao enfrentamento do vírus.

No CEJAM, um time multiprofissional com expertise dedicado ao acolhimento e apoio emocional aos colaboradores promove ações complementares e atendimentos individuais para redução dos impactos psicológicos que podem advir do cenário atual e até causar o adoecimento. Além disso, com inovação e tecnologia da informação, foi potencializada a telemedicina por meio dos canais de teleatendimento e teleconsultas com registro em prontuário eletrônico.

A segurança nas ações é garantida por meio de fornecimento de equipamentos de proteção individuais – EPI, os quais alinhados à educação permanente impactam positivamente no número de profissionais acometidos pelo vírus.

No primeiro semestre de 2020, as Unidades Básicas de Saúde gerenciadas pelo CEJAM, em São Paulo, realizaram mais de 412 mil consultas médicas e quase 1,5 milhão de visitas de Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Isto evidencia que além do enfrentamento ao coronavírus, a saúde pública seguiu provendo o atendimento necessário para assegurar saúde para todos.

Para efetividade das ações em saúde, é importante fortalecer as parcerias entre as OSS e a gestão pública. Visando à melhoria da saúde da população, esta colaboração mútua deve ser aperfeiçoada, por meio do fortalecimento do processo de qualificação de instituições idôneas e do respeito aos valores de transparência, eficiência e foco no paciente.

 

Confira a publicação no Portal Hospitais Brasil


Os comentários estão fechados.