Correio Braziliense: governador anuncia 508 cirurgias no HCB e elogia modelo de gestão

Hospital da Criança de Brasília, gerenciado pela OSS Icipe, vai realizar mais procedimentos em fevereiro para desafogar filas

O aumento de cirurgias pediátricas no Hospital da Criança de Brasília (HCB) para reduzir filas de espera no DF foi tema de reportagem do Correio Braziliense, na última sexta-feira, 1º de fevereiro. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, visitou a unidade e anunciou que até o fim de fevereiro o hospital vai realizar 508 cirurgias com o objetivo de zerar a espera de famílias pelos procedimentos.

Na ocasião, Ibaneis elogiou o modelo de gestão do Hospital da Criança, administrado pelo Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe) – OSS filiada ao Ibross. “Eu não conhecia o hospital e fiquei encantado com o que vi aqui, com a maneira que as crianças são tratadas”, declarou o governador, que também se disse satisfeito com o esforço conjunto entre o Icipe e a Secretaria de Saúde do Distrito Federal /DF. “Teremos o atendimento de mais de 500 crianças nas suas cirurgias, de um total de 868 – vamos ultrapassar mais da metade das cirurgias em um mês. Queremos desafogar as filas para melhorar o atendimento e a saúde do Distrito Federal”, reforçou Ibaneis.

O superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, explicou que a contribuição do Icipe está alinhada à própria linha de trabalho do hospital. “Queremos fazer esse esforço adicional para atender a quantidade de cirurgias, mas preservando a humanização, a qualidade, a segurança e contribuindo para a saúde das crianças”, concluiu Rehem. O Icipe decidiu que, a partir de 1º de fevereiro, vai dedicar duas mil horas de profissionais de saúde exclusivamente para apoiar a iniciativa. As cirurgias serão realizadas de segunda a sábado.

Clique aqui para ler a reportagem do Correio Braziliense na íntegra.

 
Fotos: Renato Alves / Agência Brasília

Fotos: Renato Alves / Agência Brasília


Fotos: Renato Alves / Agência Brasília


Fotos: Renato Alves / Agência Brasília


Os comentários estão fechados.